sexta-feira, 14 de novembro de 2014

678 - A história de Íris

Nossa história é sobre uma garota chamada Íris.
Íris é muito sensível. Tão sensível, que sempre está em lágrimas. Ela chora quando está triste, quando está feliz e até quando algumas coisas chegam perto dela.
Ela possui glândulas lacrimais especiais para gerar novas lágrimas, e tubos especiais chamados punctas lacrimais, para drenar lágrimas antigas.
Ela chora tanto, que perde 296 ml de lágrimas por dia. Trinta e oito litros por ano! Na verdade, se analisarmos de perto, veremos que ela chora um pouquinho o tempo todo.
As lágrimas basais que Íris produz constantemente formam uma fina cobertura de três camadas, que a cobrem e a protegem da poeira e dos ciscos. Bem próximo à Íris, fica a camada de muco, que mantém tudo ligado a ela. Em cima dessa camada, fica a camada aquosa, que mantém Íris hidratada, expulsa bactérias invasoras e protege sua pele, ou a córnea, de lesões. Por fim, temos a camada de lipídeos, uma película externa oleosa, que mantém a superfície lisa para que a Íris enxergue através dela, e evita que as demais camadas evaporem.
Geralmente, Íris passa o dia sem realmente perceber as lágrimas basais, fazendo seu trabalho. Essa é meio que a função delas. Mas, um dia, ela encontra um garoto chamado Cebola. Íris fica imediatamente apaixonada.
Cebola estava lindo em sua jaqueta roxa e brilhante, e tinha um cheiro incrível!
Então, Íris convida Cebola para jantar em sua casa, mas quando Cebola entra e tira a jaqueta, algo terrível acontece. Quando Cebola tira a jaqueta, uma reação química acontece, convertendo os sulfóxidos, que o fazem ter um cheiro tão bom, em ácido sulfênico, que, então, torna-se uma substância desagradável com um nome extenso: sulfóxido de tiopropanal.
O gás atormenta Íris e, de repente, ela não consegue evitar e começa a chorar descontroladamente. Essas lágrimas de reflexo são diferentes das lágrimas basais, às quais Íris está acostumada. Por serem feitas para remover substâncias prejudiciais ou partículas, elas são liberadas em quantidades bem maiores, e sua camada aquosa também contém mais anticorpos para deter quaisquer microrganismos que possam tentar entrar.
Tanto Íris quanto Cebola ficam arrasados. Eles sabem que não podem levar adiante seu relacionamento, já que Íris vai se machucar e chorar toda vez que Cebola tirar sua jaqueta. Então, eles decidem se separar.
Quando Cebola sai pela porta, Íris para de chorar. E imediatamente recomeça. Só que, agora, ela não está chorando lágrimas de reflexo, mas lágrimas de emoção. Quando alguém fica triste ou feliz demais, parece uma perda de controle, o que pode ser perigoso. Então, as lágrimas de emoção são enviadas para estabilizar o humor o mais rápido possível, junto com outras reações físicas, tais como frequência cardíaca aumentada e respiração mais lenta. Mas os cientistas ainda não têm absoluta certeza sobre como ou por que as lágrimas em si são úteis. Talvez sejam um mecanismo social para conseguir empatia ou mostrar submissão. Mas alguns estudos também descobriram que lágrimas de emoção contêm níveis mais altos de hormônios do estresse, como ACTH e encefalina, uma endorfina e analgésico natural. Neste caso, as lágrimas de emoção também estão, diretamente, acalmando Íris, bem como sinalizando seu estado emocional aos outros.
Lamento que as coisas não tenham dado certo com o Cebola, Íris. Mas não se preocupe. Contanto que você tenha todos os três tipos de lágrima, trabalhando para manter você equilibrada e saudável, as coisas vão melhorar.
Você vai ver.
Traduzido por PGCS

2 comentários:

Clara Sol disse...

Amigo Paulo ..
Essa Iris era muito chorona; mesmo, chora quando está feliz triste,qual quer motivo, meu deus..
Até a cebola perdeu para ela.
Não sei o que está acontecendo com você, mas noto que estar muito sensível parece a Iris, está muito bonzinho até contanto historia da Iris.
Realmente achei muito interessante e não imaginava que perdia "296 ml de lágrimas por dia. Trinta e oito litros por ano". É muita lagrimas, não é verdade!
Estou aprendendo muito com você meu amigo.
Só tenho a agradecer.
Um grande abraço.
ClaraSol

Paulo Gurgel disse...

O genial Ary Barroso precisou de apenas "Três Lágrimas" para criar esta obra-prima:
http://letras.mus.br/ary-barroso/423877/