quinta-feira, 30 de julho de 2015

763 - O papel da microbiota na prevenção de alergias

O corpo humano é habitado por bilhões de bactérias simbióticas, criando uma diversidade que é única para cada indivíduo. A microbiota está envolvida em muitos mecanismos importantes, incluindo a digestão, a síntese de vitaminas e a defesa do hospedeiro. Está bem estabelecido que uma perda de bactérias simbiontes promove o desenvolvimento de alergias. Os cientistas do Instituto Pasteur conseguiram explicar esse fenômeno e demonstrar como a microbiota age sobre o equilíbrio do sistema imunológico: a presença de microrganismos bloqueia especificamente as células do sistema imunológico responsáveis por desencadear alergias. Estes resultados são publicados na revista Science.
A hipótese da higiene sugere uma associação entre o declínio das doenças infecciosas e o aumento de doenças alérgicas em países industrializados. Melhorias nos níveis de higiene conduzem necessariamente a um reduzido contato com microrganismos o qual é acompanhado por um aumento da incidência de doenças alérgicas e autoimunes.
Estudos epidemiológicos comprovaram esta hipótese, mostrando que as crianças que vivem em contato com animais da fazenda – e, portanto, com mais agentes microbianos – desenvolvem menos alergias durante a sua vida. Por outro lado, estudos experimentais demonstram que administrar antibióticos aos ratos nos primeiros dias de vida resulta em perda de microbiota e, posteriormente, em um aumento da prevalência de alergia.
Referência
C. Ohnmacht, J.-H. Park, S. Cording, J. B. Wing, K. Atarashi, Y. Obata, V. Gaboriau-Routhiau, R. Marques, S. Dulauroy, M. Fedoseeva, M. Busslinger, N. Cerf-Bensussan, I. G. Boneca, D. Voehringer, K. Hase, K. Honda, S. Sakaguchi, G. Eberl. The microbiota regulates type 2 immunity through ROR t T cells. Science, 2015; DOI: 10.1126/science.aac4263

segunda-feira, 27 de julho de 2015

762 - Mensagem em uma garrafa






É muito difícil a gente se deparar com uma mensagem de não suicídio.
Como esta:
"Se você me encontrar morto isto NÃO foi um suicídio. Eu apenas estava tentando aliviar a maldita da tosse para poder dormir. Amo você, mamãe!"



sexta-feira, 24 de julho de 2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

760 - Um novo papel para o Twitter

Ferramenta de pesquisa no Twitter permite descobrir interações farmacológicas potencialmente perigosas
Uma equipe de cientistas inventou uma nova técnica para descobrir as interações medicamentosas potencialmente perigosas e os efeitos colaterais desconhecidos – antes que eles apareçam nos bancos de dados médicos, como PubMed, ou até mesmo antes de que médicos e pesquisadores tenham ouvido falar deles.
Uma ferramenta perspicaz? Um programa de computador que pode eficientemente procurar milhões de tweets no Twitter para os nomes de muitas drogas e medicamentos – e construir um mapa de como eles estão conectados, usando o #hashtags que os liga.
"Nosso novo algoritmo é uma ótima maneira de fazer descobertas que podem ser acompanhadas e testadas por especialistas como investigadores clínicos e farmacêuticos, disse Ahmed Abdeen Hamed, um cientista informático na Universidade de Vermont, que liderou a criação da nova ferramenta. Um relatório sobre como funciona o algoritmo e suas descobertas preliminares, foi publicado no Journal of Biomedical Informatics.
"Podemos não saber o que é a interação, mas com essa abordagem podemos rapidamente encontrar evidências claras de drogas que estão associadas entre si através de hashtags", disse Hamed.
Referências
Ahmed Abdeen Hamed, Xindong Wu, Robert Erickson, Tamer Fandy. Twitter K-H networks in action: Advancing biomedical literature for drug search. Journal of Biomedical Informatics, 2015; 56: 157 DOI: 10.1016/j.jbi.2015.05.015
Fonte Science Daily

sábado, 18 de julho de 2015

759 - O homem que soluçava

No início da década de 1980, havia um personagem obscuro dos desenhos animados chamado de Mr. Hiccup (Sr. Soluço). Um homem pequeno e verde, que usava uma gravata e um chapéu de feltro, o Sr. Soluço, que tinha uma "vida normal, um emprego normal, e uma casa normal," mas sofria de um problema "não tão normal": apesar de seus esforços sinceros, ao longo de 39 episódios, ele não conseguia parar de soluçar.
Não obstante o Sr. Soluço ser bem-humorado e alegre, a difícil situação desse personagem fictício é um problema muito real: os médicos estimam que, em um dado momento, cerca de 1.000 pessoas nos Estados Unidos estão a sofrer do intolerável inferno dos soluços crônicos.
Conhecido cientificamente como "flutter diafragmático sincrônico", os soluços são contrações espasmódicas involuntárias que ocorrem no diafragma, resultando em um rápido e sucessivo fechamento das cordas vocais. Normalmente desencadeados pelo aumento da pressão abdominal, os soluços são uma aflição que todos nós já enfrentamos em nossas vidas - mas, na grande maioria das vezes, eles vão embora, naturalmente, depois de uma ou duas horas. Quando soluços duram mais do que alguns dias, eles são considerados "persistentes" e quando perduram além de um mês, crônicos. Não há cura medicamentosa para eles.
O mais longo caso registrado na história da medicina pode ser creditado a Charles Osborne, um agricultor que soluçou continuamente por 68 anos.
Nascido em uma fazenda de Iowa, em 1893, Osborne passou sua juventude e a maioria de seus anos de adulto, trabalhando como camponês na propriedade de seu pai. Em uma fatídica tarde de primavera em 1922, a sua vida deu uma guinada para pior.
Quando pendurava um porco de 350 libras para matar, ele teve um desmaio. Ao recuperar-se do desmaio, uma grave crise de soluços iniciou-se nele, e nenhum remédio caseiro conseguia aliviá-lo. Como o Sr. Soluço, ele tentou todos os velhos truques - beber um copo de água mordendo um lápis, engasgar-se com uma colher de açúcar, respirar em um saco de papel etc. - mas suas contrações diafragmáticas persistiam a uma taxa constante. Os dias de soluços tornaram-se semanas e as semanas, meses; eventualmente, o agricultor voltava a trabalhar.
Nos 68 anos seguintes, Osborne soluçou continuamente a uma taxa de um soluço a cada três segundos durante as horas de vigília. Médicos que estudaram o caso estimam que ele soluçou 24.000 vezes por dia, ou cerca de 595.680.000 vezes durante a vida.
Nos primeiros anos, Osborne procurou orientação médica, chegando a viajar até o Alasca para se encontrar com médicos. Isso tornou-se muito dispendioso e, depois de centenas de "curas potenciais" fracassadas, ele aceitou os soluços como um complemento indesejado à sua vida cotidiana. Em sua busca pela cura, Osbourne conseguiu atingir um certo grau de fama: ele fez uma aparição no programa Ripley's Believe It or Not, foi entrevistado por Johnny Carson, no The Tonight Show, e garantiu um lugar no Guinness Book of World Records para o "maior ataque de soluços".
Ao longo dos anos, ele recebeu cerca de 4.000 cartas oferecendo simpatias e remédios que não funcionavam. E passou a rejeitar cada sugestão recebida com um curto "tentei isso".
O único e fugaz momento de consolo para Osborne veio no final de 1970, quando um especialista em Illinois diagnosticou que ele tinha "uma pequena área no tronco cerebral destruída, inibindo a resposta soluço." Ele foi então colocado sob uma droga experimental, um hormônio que o livrou dos soluços por 36 horas, mas que, depois de apresentar alguns efeitos colaterais igualmente intoleráveis, ele se recusou a continuar o tratamento.
Aos poucos, ele aprendeu a dominar o barulho de seus soluços, aplicando técnicas de respiração em sua rotina diária; embora os soluços diminuíssem quando ele estava dormindo, eles imediatamente retornavam quando ele acordava todas as manhãs. Era obrigado a liquidificar os alimentos sólidos para evitar a asfixia.
Apesar desses inconvenientes, Osbourne viveu o que ele considerava ser uma vida relativamente "normal". Ele continuou trabalhando com suínos por muitos anos, casou-se duas vezes e foi pai de oito filhos.
Misteriosamente, os soluços de Osborne cessaram em 1990. Mas, um ano mais tarde, com a idade de 97 anos, ele faleceu devido a causas naturais.
Depois que Osborne morreu, vários outros casos de soluços crônicos vieram à tona na mídia, nomeadamente o calvário de inglês Christopher Sands, em 2006. Por mais de três anos, Sands, um músico e vocalista, experimentou um ataque contínuo de soluços tão severos que ele, muitas vezes, desmaiava por falta de oxigênio para o cérebro. Ele só curou quando uma equipe de médicos encontrou e removeu o culpado: um tumor em seu tronco cerebral.
Osborne e Sands tiveram, na realidade, alguma sorte. Soluços crônicos têm, em alguns casos documentados, levado a uma perda de peso severa e à morte por exaustão de seus portadores.
Apesar dos avanços médicos, publica o Jornal de Ciência Dartmouth , "os soluços são um assunto minimamente estudados, e existem apenas especulações a respeito de porque nós soluçamos com tudo". A única solução documentada para os casos crônicos é a cirurgia para cortar os nervos que controlam o diafragma (frenicectomia), mas isso quase sempre resulta em uma respiração severamente prejudicada. Para aquelas almas infelizes que compartilham a experiência de Osborne, há pouca esperança de uma recuperação completa.
Enquanto todo mundo tem sua própria teoria sobre como acabar com os soluços, essas "curas" são, em última análise coincidência, diz Dr. Terence Anthoney, o homem que tratou Osborne mais de 40 anos atrás.
The Man Who Continuously Hiccuped for 68 Years, Priceonomicus

quarta-feira, 15 de julho de 2015

758 - Mina de carvão

Trabalhadores de uma mina de carvão retornando para a superfície depois de uma dia de trabalho.
Tempo e local: indeterminados
Old Pics Archive
https://twitter.com/oldpicsarchive/status/599692091866886145

domingo, 12 de julho de 2015

757 - Assim se produz a fecundação

Vídeo em que se observa, em tempo real, a fecundação de óvulos do ouriço do mar.
Nos primeiro momentos do vídeo, podemos ver os óvulos como células de grande tamanho. Ao redor, os espermatozóides se movimentam como pequenos pontos brilhantes, procurando ganhar a corrida da fecundação.
Uma vez que um dos espermatozoides entre no óvulo, começa a etapa da fecundação chamada de bloqueio da polispermia. O objetivo do bloqueio é simplesmente o de evitar que um segundo espermatozoide possa penetrar no óvulo. E, para isso, o óvulo se cerca de uma camada protetora (também conhecida como membrana de fertilização), como vemos nos momentos seguintes do vídeo.
Para os demais espermatozoides o jogo terminou.
Ler + no Hipertextual.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

segunda-feira, 6 de julho de 2015

755 - A história viral de uma pessoa

Que vírus invadiram seu corpo ao longo de sua vida? 
Agora você pode saber. Pesquisadores desenvolveram um teste baseado no DNA do sangue que pode determinar a história viral de uma pessoa. Com essa técnica, esperam também fazer a detecção precoce de condições clínicas, tais como a hepatite C, e eventualmente encontrar a explicação do que desencadeia certas doenças auto-imunes e cânceres.
O novo teste, conhecido como VirScan, de acordo com um estudo recém-publicado na revista Science, realiza a triagem no sangue para a detecção de anticorpos contra 206 espécies de vírus conhecidos que infectam os seres humanos. O sistema imunológico, que produz anticorpos específicos quando encontra um determinado vírus, pode continuar a produzir esses anticorpos décadas após a infecção desaparecer. VirScan detecta os anticorpos e utiliza-os como uma janela no tempo para criar um relatório de quase todos os vírus que um indivíduo encontrou. É uma alternativa dramática para as ferramentas de diagnóstico atualmente existentes, que testam apenas para um único vírus suspeito de cada vez.
"A abordagem é inteligente e corresponde a um tour de force tecnológico", diz Ian Lipkin, professor de epidemiologia e diretor do Centro de Infecção e Imunidade da Universidade de Columbia, que não esteve envolvido na criação do VirScan. "Ele tem o potencial de revelar os vírus que as pessoas encontraram recentemente ou muitos anos antes. Portanto, esta é uma ferramenta de pesquisa poderosa."
Ler mais...
N. do E.
Na busca deste assunto na internet não confundir VirScan om VirSCAN. O segundo é um serviço de rastreamento online para a verificação de arquivos infectados.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

754 - O primeiro país a eliminar a transmissão do HIV de mãe para filho

Cerca de 1,4 milhão de mulheres portadoras de HIV engravidam anualmente no mundo. Elas geram 230 mil crianças contaminadas pelo vírus.
A chance de uma mulher transmitir o vírus para seus filhos durante a gravidez, o parto ou a amamentação varia de 15 a 45 por cento, dependendo do caso. Mas, com assistência e os remédios adequados, o risco diminui para 1 por cento.
Agora, nenhuma delas transmite mais o vírus da imunodeficiência humana em Cuba.
Cuba se tornou a primeira nação do mundo, validada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a eliminar por completo a transmissão de mãe para filho do vírus da AIDS (HIV) e da bactéria da sífilis. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde Pública de Cuba, Roberto Morales Ojeda, na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) em Washington.
Por trás dos resultados estão anos de esforços para garantir o acesso ágil a cuidados pré-natais, testes e medicamentos às mulheres grávidas, capazes de impedir que estas doenças sejam transmitidas de mãe para filho. A OMS reconheceu o fato como um marco histórico.
"Eliminar a transmissão de um vírus é uma das maiores conquistas possíveis de saúde pública", disse a diretora geral da OMS, Margaret Chan. "Esta é uma grande vitória em nossa longa luta contra o HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis, e um passo importante no sentido de ter uma geração livre da AIDS".
O diretor executivo da Unaids, Michel Sidibé, acrescentou que "esta notícia merece ser comemorada em todo o mundo".
Fonte: O GLOBO